Brigitte Helm, A Deusa Eterna De Yoshiwara!!!

Brigitte Helm, A Deusa Eterna De Yoshiwara!!!
Brigitte Helm, A Deusa Eterna De Yoshiwara!!!

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Resenha de Filme - Homem Formiga

Homem Formiga. Muito Pinicante.
A Marvel lança seu mais novo filme e seu mais novo super-herói. “Homem Formiga” chegou para dar uma revigorada nas coisas. E trouxe bons ventos, regados a muita ação e, principalmente, muito humor, o que tornou a película deliciosamente simpática. Ah, e trouxe Michael Douglas também, um medalhão sempre bem vindo para qualquer franquia.
Vemos aqui a história de Scott Lang (interpretado por Paul Rudd), um ladrãozinho de meia-tigela que é especialista em furtar casas. Mas ele se dá mal e para no xadrez por um tempo. Quando sai, se encontra com seus antigos amigos de atividades criminosas bem vagabundinhas e promete ter uma nova vida, já que ele quer ser um pai mais presente para sua filhinha. Mas sua ex-esposa agora é casada com um policial que quer vê-lo bem longe. As coisas não vão bem para Scott, pois ele é demitido dos empregos quando é sabido que ele é um ex-presidiário. Sem muita perspectiva, volta ao ofício de arrombar casas com seus amigos e, ao fazer isso, encontra um estranho traje no cofre de uma mansão. A mansão furtada em questão é a do cientista Dr. Hank Pym (interpretado por Michael Douglas), que desenvolveu uma tecnologia que miniaturiza as coisas e quer impedir que um antigo discípulo, Darren Cross (interpretado por Corey Stoll), à frente da empresa fundada por Pym, use essa tecnologia para fins militares. Darren inclusive já desenvolveu um traje miniaturizado, o “Yellow Jacket”, mas ainda não tem a tecnologia de miniaturizar seres vivos, algo que Pym já desenvolveu há muito tempo. O cientista também conseguiu desenvolver uma técnica para colocar exércitos inteiros de formigas sob sua obediência. E Pym vai passar tudo isso para Scott, que usará o traje para ficar pequenininho, pequenininho e comandar todo um exército de formigas das mais variadas matizes, cores e funções.
É uma boa aposta da Marvel esse filme. Existem muitas situações hilárias, mais do que nas outras películas (talvez só em “Guardiões da Galáxia” a coisa tenha sido tão engraçada quanto, mas em “Homem Formiga” as risadas foram ainda mais gostosas). Adicionar um elemento de humor nessas histórias é um bom caminho para renovar esses filmes que, ultimamente, têm ficado muito repetitivos. Logo, colocar novos elementos sempre é algo simpático e necessário.
Ainda, a presença de Michael Douglas como parte do elenco principal. Outro ponto para o filme. Já foi mencionado aqui como o uso de tais medalhões do cinema aumenta a qualidade e a credibilidade da franquia. Da mesma forma que já tinha sido bom ver Robert Redford ou Samuel Jackson em “Capitão América”. E Douglas esteve muito bem no filme.
No mais, uma boa história de ação, Stan Lee fazendo a costumeira ponta e a presença de duas sequências pós-créditos (não saiam da sala ao final do filme, vale a pena esperar!), marcas registradas da Marvel.

Assim, com “Homem Formiga” a Marvel volta a impressionar, já que a coisa não foi tão fulgurante na sequência dos “Vingadores”, assim como no upgrade do Homem Aranha, embora ele tenha ficado mais fiel aos quadrinhos. Na minha humilde opinião pessoal, bom mesmo foram os filmes do Capitão América... mas isso vai do gosto de cada um. De qualquer forma, “Homem Formiga” foi um tiro certo e ele voltará!!!

Cartaz do filme


Scott Lang em tamanho extra p.


Yellow Jacket.

Comandando as bichinhas (dá muita vontade de se coçar...)

Boa presença de Michael Douglas.

O vilão do filme, Darren Cross, e a "Yellow Jacket"

Coletivas de imprensa da vida. A moça bonita é Evangeline Lilly, que interpreta Hope, a filha de Pym.

Nenhum comentário:

Postar um comentário